8.2.07

P.179: Tiques e manias

Trava-se uma pequena batalha em minha casa, surda, toda feita de uma incompreensão mútua sem nome. Ordenamento? Geometria? Gestão racional? Concepção do belo? Harmonia?... Uma? Todas elas?

A mão que limpa às vezes o pó dispõe obliquamente os objectos, em “cascata”, em “vitrina”, tudo “mostrando o melhor ângulo”…! A minha mão vem repor a ordem rectilínea, paralela, perpendicular! Há coisas que mudam de sítio, de alinhamento, frequentemente. Rectifico e nada digo, porque sei que andou naquele gesto de ajeitar uma vontade de fazer bonito… Mas interrogo-me: que pensará quando, a cada dia, vem encontrar, invariavelmente, os objectos deslocados?! Será o meu desleixo ou a minha teimosia que lhe virão à ideia?

Nas arrumações, o mesmo diferendo! Se ambas perfilhamos a teoria de que a casa se quer arrumada e tudo tem o seu lugar, a minha ideia não é a sua: a de que o lugar certo é onde houver lugar…! Passo às vezes tormentos a procurar nos sítios certos as coisas que foram parar algures, onde havia uma frincha, um buraco, um espaço disponível!

Salva-se o frigorífico onde, em virtude da minha escolha exclusiva de caixas plásticas cúbicas e paralelepipédicas, o aproveitamento correcto do espaço fica quase totalmente garantido.

Lembro-me vagamente de fazer uns testes pseudo-psicológicos (ou teriam alguma razão de ser?) de execução de desenhos que, segundo o predomínio das formas geométricas utilizadas, conduziam ao traçado de um perfil em que a sensibilidade, a emotividade e a racionalidade se confrontavam e mediam… Penso às vezes neles quando me auto-analiso nesta minha vertente doméstica. Penso também no tempo que vinca na personalidade, como no rosto, os traços de cada um…!

6 Comments:

Blogger -pirata-vermelho- said...

Que bem a entendo!
Só há uma solução - o exercício puro e simples da autoridade ou o encaixe do conflito perene se não houver reconhecimento dela, uma vez que o critério de suporte que aqui expôs a justifica -a autoridade- enquanto não for apresentado outro reconhecidamente melhor.

fevereiro 08, 2007 4:49 da tarde  
Blogger -pirata-vermelho- said...

Não há nada de emocional-afectivo nisso! É mera organização da tarefa ou gestão do espaço; ou ambas...

fevereiro 08, 2007 4:50 da tarde  
Blogger Carlos Sampaio said...

Em organização empresarial existe uma "coisa" chamada 5S, das palavras originais em Japonês, que se podem traduzir mais ou menos por:
Separar - o que é necessário do que não o é.
Situar - cada coisa no seu lugar.
Suprimir - as fontes de sujidade.
Sinalizar - anomalias que saem fora das normas.
Seguir - mantendo e melhorando com disciplia.

Nunca tinha ouvido falar da sua aplicação a ambiente doméstico...

Eu só sou arrumado na medida em que isso me poupa tempo e me aumenta a eficiência. E com os anos aprendi que, normalmente, resulta ...

fevereiro 08, 2007 5:08 da tarde  
Blogger TINTA PERMANENTE said...

De jeito oblíquo cheguei aqui; qualquer acaso do momento feito na distracção de ler um pouco aqui outro tanto ali. Numa perspectiva rectilinea diria que foi uma visita agradável...
Cumprimentos

fevereiro 08, 2007 6:28 da tarde  
Blogger Irene said...

curioso, comigo acontece-me o mesmo mas em menor proporção (dado que a minha decoração simplista não permite grandes mudanças); porque será?! algum subconsciente colectivo disposto a relembrar a luta de classes? :-)

quanto à foto do teu frigo revela um pouco de ti...
agora imagina o meu!!! rssss
bem, não é que seja desarrumada, como sabes, mas a geometria das coisas não é, no meu caso, tão disciplinada.

fevereiro 10, 2007 8:34 da tarde  
Blogger M. said...

Ah se sei o que isso é!... Também já me tenho perguntado sobre o mesmo que tu. E ainda não cheguei a conclusão nenhuma...

fevereiro 11, 2007 3:35 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home