3.5.07

P.245: Limitações...

... de uma árvore, da fotografia que a regista e da Natureza que a rodeia.

(em jogo no Fotodicionário)

Esta espécie de rosto com que fito são os cotos dos meus braços cortados, limitações na envergadura e na sombra, arbitrária ou justificada razão de alguém que me mutilou e me deu, para sempre, este ar surpreendido de árvore de desenhos animados…
Novamente limitada, no retrato que de mim mostra só o busto e os antebraços erguidos, opção de quem não me quis mostrar inteira.
E se me cubro só de verde e me rodeiam variantes da mesma cor, numa limitada paleta cromática, a limitação é sazonal. Venha o Outono e contaremos juntos os deslumbramentos coloridos desta minha Natureza!

6 Comments:

Blogger Irene said...

Sabes?
esta tua dimensão mais intimista fica-te muito bem porque escreves genialmente!
além da simbologia subjacente às palavras e do estilo literário vincado pela sua força, há uma poderosa escrita...

maio 04, 2007 1:06 da manhã  
Blogger Maria Manuel said...

Força tem este acordar e encontrar um comentário destes...!
Obrigada.

maio 04, 2007 8:28 da manhã  
Blogger M. said...

Gostei imenso do teu texto.

maio 04, 2007 10:42 da manhã  
Blogger APC said...

Gosto de ler o que é escrito a seiva e sangue! :-)))

maio 04, 2007 5:43 da tarde  
Blogger bettips said...

Uma árvore de olhos abertos, a falar para nós, dos seus sonhos. Linda esta ideia! E mais não digo, já disseram, da prosa fluída e poética... Bjinho

maio 04, 2007 6:58 da tarde  
Blogger Teresa said...

Esse ambiente mitológico, onde as fadas, gnomos e outros seres habitam, brincam e abraçam-nos com essas palavras magnificas... Lindo!!!
Te

maio 06, 2007 1:30 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home