24.4.07

P.238: Porto

Não é que a máquina seja pouco mais que mínima nas suas potencialidades técnicas. Não é que a fotógrafa se atrapalhe com as regulações manuais. Não é que falte o necessário equilíbrio e a firmeza de um tripé… É que perante tamanha beleza, o dedo que prime e o mecanismo que responde vacilam na mesma emocionada contemplação!
:-))

(O lado de fora do interior da p. 234 )

6 Comments:

Blogger Unicus said...

Perfeita. Capataste abeleza. E essa nada tem a ver com botões e outras artimanhas.
Beijinhos

abril 25, 2007 1:37 da manhã  
Blogger Unicus said...

a beleza (errata)

abril 25, 2007 1:38 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Pois, pois..se as provas são generosas..:-)

Bonito postal

um abraço

intruso

abril 25, 2007 3:48 da manhã  
Blogger JL said...

Fantástica justificação... perfeita!!

abril 25, 2007 11:39 da manhã  
Blogger Belzebu said...

As tecnologias ainda são incapazes de criar beleza onde ela não existe, bem como o contrário! Ainda bem!

Saudações infernais!

abril 26, 2007 6:46 da tarde  
Blogger bettips said...

Descreveste tão bem essa sensação que ás vezes tenho, de "tontura do dedo"... Linda! Abç

abril 29, 2007 1:44 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home