21.5.07

P.258: Um certo olhar

mediático sobre a realidade regional trasmontana, procura – por razões de facilidade? de gosto? de garantido sucesso da reportagem?... – sempre o mais rude dos populares, o transeunte com ar menos esclarecido, o beco mais rural, o pardieiro mais pobre, para fixar a sua câmara. E dessa forma constrói uma imagem para a nação: a de que em qualquer ponto desta região pisamos bosta quando saímos à rua, bebemos sopas de vinho ao pequeno-almoço e temos como súmula do divertimento a oração e a decoração de andores. Isto, claro, quando não estamos a fazer enchidos ou a lavrar as leiras.
Se o tom parece caricatural, a mim também me soa a ridicularização essa perspectiva quase única que não diz da diversidade e da evolução. Para o bem e para o mal, não somos já só esse quadro pitoresco, por muito que ele continue a agradar ao citadino dos “grandes centros”, se os há em Portugal, ou aos pobres de ideias jornalistas locais e nacionais.

4 Comments:

Blogger aDesenhar said...

infelizmente assim é.
:|

maio 22, 2007 1:58 da manhã  
Blogger Unicus said...

Acontece o mesmo para estes lados.
Por razões que desconheço, uma boa parte dos habitantes das "metrópoles" acha-nos bichos do mato. O mesmo pensam, infelizmente alguns dos meus colegas de profissão.
"Perdoai-lhes Senhpr que não sabem o que dizem"..
Beijinho, amiga

maio 22, 2007 10:42 da tarde  
Blogger Carlos Sampaio said...

Posso acrescentar o "Puorto", tipicamente retratado pelas "entrebistas às bendedeiras du bulhom" ??

maio 22, 2007 10:48 da tarde  
Blogger bettips said...

Realmente. Fico danada quando nivelam por baixo e dão a pior (ou grotesca) imagem de nós. É mesmo apoucar-nos a todos! Bjinho

maio 24, 2007 11:10 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home