19.2.07

P.186: Lusitânia

Mais uma viagem no tempo, desta vez à Emerita Augusta romana. Não há exagero no que digo. Tal como do topónimo Mérida se chega perfeitamente a Emerita – desfeita a aférese e a sonorização, fenómenos fonéticos da evolução da palavra –, também da actual Mérida, cidade sem grande beleza da extremadura espanhola, se chega à bela Emerita romana, capital da Lusitânia, que o tempo não devorou. E é isso, sobretudo, que surpreende: a quantidade de vestígios em estado observável e compreensível: teatro, anfiteatro, circo máximo, templos, pontes, aquedutos, barragens, casas… e mosaicos, mosaicos lindos e preservados, como nunca antes vira!! Chronos foi misericordioso!

E os descendentes dos emeritas romanos (sendo que “emerita” quer dizer soldado, oficial do exército, reformado; e sendo eles os fundadores da cidade, quando o Império, já estendido e consolidado, não precisava dos seus serviços), estes habitantes da cidade no séc. XX e XXI, se não souberam criar uma beleza nova, conseguiram, pelo menos, preservar a antiga, reerguendo os monumentos com os destroços encontrados em cada local, substituindo estátuas, frontões, mosaicos por réplicas, que recriam o ambiente original, e levando os verdadeiros para um museu onde se gasta, com gosto, pelo menos uma tarde.

E em casos em que o moderno colidiu com o antigo, uma solução observada em dois empreendimentos: preserva-se o antigo ao nível da cave e do rés-do-chão; criam-se as condições de visibilidade, de visita. E, por cima, ergue-se o novo projectado! Não é, talvez, o ideal, mas pareceu-me uma boa alternativa à inviabilização da recuperação do património histórico e de novos projectos de construção, como já se tem visto em Portugal, com prejuízos para todos.

Ficam algumas fotografias que, apesar do tempo bisonho, dizem talvez mais do que as palavras.

2 Comments:

Blogger Déjàvu said...

Estas imagens são de uma beleza extraordinária;
Fizeram-me lembrar as minhas aulas de história, em k eu ficava fascinada só a ver as imagens; no livro claro :-)
Já viste as 7 maravilhas do mundo? Nós tb temos monumentos mto lindos :-)

mas não gosto de ver o moderno aliado ao antigo!!!

É o caso das moradias em Portugal; vê-se mtas vezes o k dantes eras habitações lindas, agora degradadas, k podiam ser preservadas e não são… mas que ao lado são construídos prédios ultra modernos de vários andares...que na minha opinião ali implantadas ficam um horror :-(

fevereiro 20, 2007 7:20 da tarde  
Blogger adesenhar said...

bons exemplos de conservação do património dos nossos vizinhos...
- porque será que os nossos "entendidos" na matéria, não se despem de preconceitos bacocos e orgulhos mais que entupidos e "copiam" o que de bom se faz por essas e outras bandas!

:-)

fevereiro 21, 2007 12:17 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home