20.1.08

P.388: Uma curiosa missiva


Nas minhas escassas visitas a museus, poucos objectos me emocionaram tanto como esta “antepassada” da carta, folha de barro, mensagem trabalhosamente registada, sobrescrito decorado.
Há-as comerciais e privadas. A escrita é cuneiforme, a língua Assíria. Eram cozidas depois de escritas, metidas no envelope e cozidas de novo, para selar o invólucro. 19 séculos a.C.!
Vou usar a imagem numa das próximas aulas, para introduzir o estudo do texto epistolar. Quero ver os olhinhos piscos dos meus alunos de sms abreviados pasmando diante desta tarefa árdua de escrever, quando ela era realmente difícil… :-)
Postal trazido do Museu das Civilizações da Anatólia, em Ancara

3 Comments:

Blogger Spectrum said...

Temo que os teus alunos não te dêm muita atenção. Na sua grande maioria - o facilitismo ajuda - são uns verdadeiros, hum...desinteressados.
Um beijo

janeiro 21, 2008 6:29 da tarde  
Blogger APC said...

:-) Não tinha pinta receber agora uma carta assim? Com boas notícias, claro, pois por mais que a forma mude, há-se ser sempre o conteúdo aquilo que mais importa!

Dlim-dlom!... Tocaram à porta, é o carteiro... Tu queres ver que...?! :-)

Boa aula! Eu acho que vai ser um sucesso. 'Algumas bocas, e tal... Enfim, milagres não há! Mas que lhes fique, ao menos, alguma coisa gravada no barro da memória! :-P

Um abraço.

janeiro 25, 2008 12:20 da manhã  
Blogger bettips said...

Que linda!!!
Interesses variados que tanto gosto de ver e saber; e neste caso "O carteiro" tocar duas vezes era mais uma tijolada...
Bj

fevereiro 01, 2008 3:56 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home