25.9.07

P.352: Nova TLEBS

ou «A Gramática do Eu».

Sempre pensei no valor pessoal associado a “algum”. Por consciência, modéstia, imodéstia… separadas ou conjugadas, tendi sempre a recusar o “muito” e o “pouco” que, ainda que de amplas nuances subjectivas na aplicação da quantidade, foram sempre, apesar disso, exactamente advérbios da dita e nem mesmo a nova gramática, tão pronta a baralhar e dar de novo, lhes arranjou, até ver, classificação diferente inequívoca.

“Algum” servia-me, como indefinido que apenas recusa a nulidade, ponto extremo do fosso a que nunca cheguei na concepção de mim. “Algum”, determinando valor, era a indefinição que convinha à minha timidez pontuada por picos de ousadia, à minha confiança sempre assaltada de dúvidas, ao intercalar dos sucessos e dos fracassos…

Foi assim anos e anos: eu servida da palavra e a palavra servindo à minha realidade.

Mas, não há tranquilidade que sempre dure! “Algum” passou-se; ou, melhor dizendo, passaram-na. Mudou de classe, de lugar na arrumação das palavras, de rumo. Não perdeu a indefinição, não senhor. Mas ingressou na classe nova dos “quantificadores”!

E o meu valor, que sempre se quis indefinidamente determinado, passou a ter uma quantificação indefinida, o que faz… alguma diferença…!! :-))

9 Comments:

Blogger APC said...

Bom... Era um pronome indefinido, e indefinido não deixa de ser. Contudo, importaria definir que, embora indefinido, quantifica, efectivamente. Já o 'muito' e o 'pouco' estavam arrumaditos na categoria de advérbios de intensidade, e ainda ninguém se lembrara de dar alguma dignidade à família 'muitos', 'poucos' e 'alguns'. Sim, que tantas vezes operam como pronomes (e muitos de nós o reconhecem, lol), mas outras vezes não (e.g. - Trazes dinheiro? - Algum!).
E tu, concordas alguma coisa com isto? :-)

setembro 26, 2007 4:07 da manhã  
Blogger Carlos Sampaio said...

Bom...
Não entendi muito o detalhe técnico mas diria que é normal, numa grelha de avaliação, colocar um número par de colunas, precisamente para evitar as classificações médias do que nem é bom nem é mau, antes pelo contrário: Ou é positivo, ou é negativo.

Faz algum sentido!

setembro 26, 2007 12:26 da tarde  
Blogger Maria Manuel said...

APC
Vejamos:
"Algum" em "algum valor" - que era o caso - foi até hoje, na gramática da minha memória :-), pronome indefinido adjunto, determinante indefinido e, agora, quantificador indefinido. A semântica da indefinição mantêve-se, claro, na subclasse; só a classe foi mudando.
Evidentemente, quando "algum", "muito", "pouco" substituem nome(s) são pronomes.

[Garanto que o texto não pretendia "pregar secas" de gramática a ninguém... :-)]

Carlos

Quando avaliador e avaliado são a mesma pessoa, quando a avaliação não tem outro objectivo que não seja manter em equilíbrio o estado de espírito com que se enfrentam os dias, nem o rigor pode ser muito, nem os extremos são favoráveis... :-)

setembro 27, 2007 9:06 da manhã  
Blogger Maria Manuel said...

Faltou dizer que sim, umas remodelações na casa da língua podem ser benéficas... quanto mais não seja para renovar o ambiente, ainda que no início gerem confusões! :-)

setembro 27, 2007 10:02 da manhã  
Blogger TINTA PERMANENTE said...

Não foi por acaso: foi por ter lido um comentário, algures já não sei onde. Foi muito pessoalizadamente sentir um agradável uso da palavra.Não me enganei: gostei de passar aqui. Fiquei-me, sobretudo e mais longamente, na imagem sépia aqui um pouco mais abaixo...
cumprimentos.

setembro 27, 2007 5:38 da tarde  
Blogger APC said...

"Kais seka, kais k!"

:-P

setembro 28, 2007 1:42 da manhã  
Blogger PostScriptum said...

Sabendo que as línguas não são matéria morta, mas, ao invés, matéria em evolução contínua, conviria usar de muita prudência aquando de alterações.
De resto, o que posso dizer a alguém que tão bem domina esta matéria?
Abraço

setembro 28, 2007 6:44 da tarde  
Anonymous Luisa said...

Afinal a gramática vai mudar? Diziam que não, que por enquanto tudo ficava na mesma. Claro que o teu texto está muito acima desta dúvida de quem era capaz de ensinar alguma coisa aos miúdos da família e agora não sabe nada...mas gostaria de saber que nome vão dar àquelas situações que tínhamos como certas.

setembro 28, 2007 11:54 da tarde  
Blogger Maria Manuel said...

Luísa

Vai, de facto, uma grande confusão no ensino quanto à aplicação da nova Terminologia Linguística.
Para já, está suspensa no ensino até ao 9ºano e em vigor no ensino secundário (10º, 11º e 12º)...!!

setembro 30, 2007 9:22 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home