3.7.07

P.316: Gente gira - Elsa e Cunki

Viagem que se preze tem que incluir cruzamento de vidas. Ele era turco, ela russa, de uma terra qualquer que não consegui “descodificar”, algures a mil quilómetros de Moscovo.
O mundo artístico também é global (em vários sentidos) e a juventude um tempo de adaptações fáceis. Por isso, faziam de tudo: canto, dança, teatro, ginástica, corridas entre o público, em apelo às palmas, reconhecimento universal do talento ou sinal da complacente boa vontade dos clientes do hotel…
Vieram partilhar a nossa mesa do jantar em meia hora de conversa bem disposta sobre os países de cada um. Do nosso, sabia ele que é “muito turístico”, ela não ouvira sequer falar – se fixou, terá aprendido qualquer coisa.
Afinal, a curiosidade esteve sobretudo do nosso lado e o conhecimento também… Mera questão de idade. :-)
E o trabalho? Sazonal. Para já, cinco meses de contrato ali, com direito a cama e mesa…, um luxo! Depois…? Logo se verá.
Quanto a nomes, o dela é “internacional”, mas o dele motiva um pedido: por favor, não me chamem “Junkey”…! Têm andado americanos por aqui… ;-)

1 Comments:

Blogger Irene said...

que excelente regresso!
estou ansiosa pela conversa pois este post é um aperitivo delicioso!

julho 04, 2007 10:57 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home