18.12.05

Página 37: Diálogo Saramaguiano

Ontem tive uma tesão em abstracto, Tesão em abstracto, explica o que isso é e por que usas esse português vernáculo pouco habitual, Acho que o vernáculo me serve melhor que o outro para dizer o que senti, E o abstracto como o explicas, Como uma vontade sem rosto, Permite-me que te lembre que a vontade nunca tem rosto, É verdade, talvez vontade sem destinatário explique melhor, Duvido, Seja como for, tive-a, E depois, Depois nada, Nada, e por que mo dizes, Desabafo de amiga, nunca o diria se o não fôssemos, E essa vontade não pode tornar-se concreta, A vontade é concreta, Pensei que era abstracta, Enganaste-te, Vou fechar a janela, podem escutar-nos, Está bem.

13 Comments:

Blogger Menina_marota said...

"...Permite-me que te lembre que a vontade nunca tem rosto,"

... de rosto descoberto, permite-me que te enderece o meu desejo que o espírito do Natal se cumpra e o tenhas o mais feliz possível.

Um abraço carinhoso ;)

dezembro 18, 2005 3:21 da tarde  
Blogger Poesia Portuguesa said...

Um FELIZ NATAL cheio de esperança...

Abraço carinhoso ;)

dezembro 18, 2005 3:22 da tarde  
Blogger pirata vermelho said...

permite-me que te lembre que a tesão, como a paixão, é coisa que se consome em abstracto; mera utilidade...

dezembro 18, 2005 3:29 da tarde  
Blogger sem cantigas said...

ferrero rocher
(quer a madame dizer em francês!)

dezembro 18, 2005 6:09 da tarde  
Blogger sem cantigas said...

gostei! tava a ver q me perdia... nas maiúsculas, ái nóbél nóbél

dezembro 18, 2005 6:44 da tarde  
Blogger Maria Manuel said...

Ele poupa na pontuação... e tu esbanjas nos acentos! ;-)

dezembro 18, 2005 7:24 da tarde  
Blogger sem cantigas said...

tá na móda: nóbél! grgrgr mas pra ti vai um nobel, um senhor!
gostei do desabafo/ejaculação/orgasmo de 5 minutos porque a tesão/desejo/vontade tem rosto!
;-)

dezembro 18, 2005 7:32 da tarde  
Blogger JL said...

Saia um nobel da literatura para esta jovem, se faz favor!

Beijos e boa semana

dezembro 18, 2005 8:59 da tarde  
Blogger Ana R. said...

eu cá preferia um nobel de tesão. já agora com conclusão.

dezembro 19, 2005 10:59 da tarde  
Blogger Freddy said...

Fogo, vamos mas é todos para Lanzarote visitá-lo q se deve estar bem melhor q aqui!!!

Saudades da Zona Franca. Obrigado pelo link, retribuirei logo q tiver tempo!

dezembro 20, 2005 6:26 da tarde  
Blogger Maria Manuel said...

Para que conste:

O diálogo que constitui esta publicação ("post" para quem não entenda o português) é meu; o assunto é meu; o estilo é meu, plagiando, toscamente, Saramago que, ao contrário de alguns dos meus comentadores, muito aprecio.
Não é, sequer, uma homenagem. Que pobre seria! Mas, é um facto, que o talentoso Nobel pega em episódios comezinhos do dia-a-dia e à sua volta tece uma urdidura de palavras. Apeteceu-me fazê-lo, neste espaço de liberdade em que só 3/4 pessoas - minhas pessoas - conhecem M.. Nem sequer tem que ver com a minha vontade de ser amada como o é Pilar d'el Rio. Estou a alguns anos de idade e muitos anos luz de sabedoria de o conseguir...

Confissões de Lúcia

dezembro 20, 2005 11:21 da tarde  
Blogger sem cantigas said...

as confissões aparecem qdo o coração já não aguenta!
(um bocado descabido/exagerado o meu comentário mas é a minha resposta ao teu!)
M.: de facto a anos luz da idade, só!

dezembro 20, 2005 11:44 da tarde  
Blogger Eric Blair said...

Atenção ao tecto-falso.

dezembro 21, 2005 11:45 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home