5.9.08

P.445: Uma crónica para a rentrée


A culpa é do gene?!

Primeiro é preciso lembrar que sou um pouco míope. Acrescentar que o levantar de manhã não me acorda do sono que só me larga aos poucos, contrafeito. Saber que antes do pequeno-almoço, definitivamente, há que não confiar em mim…
Foi ontem ou anteontem. Deu-me para me informar sobre o país e o mundo – expressão registada? – loguinho ao sair da cama. Vim na incerteza dos primeiros passos abrir o «Público» no meu computador pessoal e descortinei num rompante, em primeira página, esta coisa insólita: em letras relativamente gordas e negras, visíveis ao meu olho ainda remeloso, o nome de Paulo Pedroso encimando a imagem bonita, transversal, de uma pila repousada entre pelos encaracolados, num baixo ventre pétreo de estátua…!
Por breves momentos, o deputado que ali estava, creio, pelo peso de uma indemnização ganhou uma leveza de Apolo confundido em associação sonâmbula de texto e ilustração desavindos.
Breves instantes. Foi afinal o texto a que me conduziu essa imagem que sacudiu um resto de sono numa quase gargalhada. Artigo científico publicitando uma descoberta extraordinária e, digamos, conveniente, tão conveniente que não sei se o estudo não terá sido feito por encomenda de uns tantos interessados! Título: “variante genética está associada ao divórcio e à infidelidade mas só nos homens”. Lendo, fica-se a saber que 40% dos homens possuem a dita variante genética “alegadamente” responsável pela sua maior apetência para a promiscuidade sexual…
Coisas sérias à parte, a vagabundagem masculina encontrou definitivamente aquela justificação de último recurso que lhe faltava e com todo o peso da ciência: a culpa é do gene que regula a acção da hormona vasopressina!
Por isso, não há volta a dar: agora só mesmo exigindo um certificado de fabrico, garantia de qualidade.

3 Comments:

Blogger Irene said...

Olha, não sei que palavra hei-de empregar para qualificar este texto... divinal, genial, fantástico, sei lá...
Só sei que o teu sentido de humor aliado à tua expressão escrita de alto nível, misturado com a tua capacidade e perspicácia críticas originaram um dos teus melhores posts!

setembro 10, 2008 9:33 da tarde  
Blogger Maria Manuel said...

Ena!! Só posso agradecer, reconhecida. :-))

setembro 10, 2008 9:39 da tarde  
Blogger Irene said...

Quem agradece sou eu. E sabes que os meus comentários não pretendem ser apenas elogios de circunstância como tanto se vê por aí. É que como estou numa fase de total bloqueio criativo, e por mais que me esforce não sai «palavrinha» alguma, desenvolvi um prazer reconfortante de ler o que «outros» escrevem. E um deles é Umberto Eco... e tu. :))

setembro 11, 2008 11:17 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home