20.3.08

P.407: Casulas e botelo

Uma das minhas refeições do fim de semana de Páscoa será, provavelmente, de casulas e botelo ou, dito por outras palavras, vagens secas de feijão e chouriço de ossos. A ementa é mais adequada ao Carnaval, mas só agora me calhou em sorte dar um salto a Mogadouro e aterrar numa animada e bem sortida feira de artesanato e produtos da terra. Nunca provei, mas asseguram-me os conhecedores que é um petisco! Não fora outras preocupações e viria de lá carregadinha das coisas apetitosas que trouxe na memória, mormente um pão grande e cheiroso, vários queijos, grande variedade de biscoitos de aspecto e de nomes sugestivos…

“Dar um salto” a Mogadouro é, ainda, uma expressão muito optimista, mesmo para quem parte de cerca de 136 km de distância. Duas horas e meia bem medidas e a paciência de meio percurso em estrada antiga e sinuosa… daquelas que já muitos portugueses desconhecem, mas que ainda abundam nos interiores esquecidos. Talvez também por essa razão, o acolhimento é fantástico, como que a pedir ao viajante desculpa pela difícil empreitada de lá chegar.

Trás-os-Montes é região grande e variada. E quando assim rumo a Este, atravessando a Terra Quente, ouvindo a gente, apreciando produtos locais, sou obrigada a reconhecer que a zona de Vila Real pouco tem a ver com esse Nordeste profundo. O mesmo acontece se a incursão for para Norte, em terras de Boticas e Montalegre. Más estradas e clima agreste, secundados pela geografia do terreno, mantiveram cada terra com seu uso… E se era bom que se resolvessem as incomodidades e dificuldades dos acessos – o que está ainda longe de acontecer –, seria muito agradável que ao mesmo tempo se mantivesse a diversidade de produtos e tradições gerados na anterior pobreza e isolamento…

5 Comments:

Blogger TINTA PERMANENTE said...

Não contava nada, hoje, dar um salto a Trás-os-Montes!...
Mas que fui em primeira classe, fui!...
Parabéns!
... e boa Páscoa!

abraços!

março 21, 2008 9:39 da manhã  
Blogger bettips said...

Descrição a preceito e "a direito", como sabes tão bem.
Esse petisco comi-o em Torre de Moncorvo e juro juradinho que nunca mais esqueci. Nem o nome nem o sabor!
Bj

março 27, 2008 2:32 da manhã  
Anonymous Paulo Martins said...

Boa noite moro em Vila Franca de Xira nascido em Leça da Palmeira noentanto tenhos as costelas todas mesmo todas de tras-os-montes e por isso mesmo adoro boleto. venho perguntar se conhece onde se venda por estes lados?

novembro 20, 2009 1:00 da manhã  
Blogger Maria Manuel said...

Lamento, mas na zona que refere não conheço nada.

novembro 20, 2009 8:47 da manhã  
Anonymous Juvenal Praça said...

E na zona de Lisboa/arredores, haverá botelo à venda?

janeiro 14, 2010 4:08 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home