4.8.07

P.333: Titular...


Quando nos pomos a falar de assuntos profissionais, corremos sempre o risco de nos tornarmos tremendamente maçadores. Pior do que isso, só mesmo falar do serviço militar a um antigo combatente, despoletando as suas longas confidências, mais facilmente do que ele próprio descarregou a arma que teve que transportar ao ombro – veja-se, a este propósito, a magnífica tira da Mafalda de Quino!
Mas não posso deixar passar as felicitações que tenho recebido de família e colegas, sem manifestar o meu testemunho e protesto.

Para quem não seja do meio, mas costume ler, ouvir e ver noticiários, esta questão pode ser um logro. Não se pense que, de facto, e como alardeou o Ministério da Educação, a carreira de professores titulares cria uma espécie de “grupo de elite”, mais experiente, mais formado e mais uma coisa qualquer (esqueço sempre o terceiro parâmetro do trio anunciado…)…!
Não. Entre os titulares ficaram os professores mais avançados na carreira, com melhores vencimentos, que agora terão que assumir os diversos cargos que existem nas escolas. Ficam, também, aqueles que, muitas vezes casualmente, desempenharam determinadas funções nos últimos sete anos. Ficam, ainda, aqueles que estavam na escola certa, na hora certa, ou seja, que tiveram vaga para si na escola em que se encontravam em funções.
É tudo uma questão de meios e da sua rentabilização (ou rendibilização, se seguirmos os puristas da língua).

Sou titular. Se o não fosse, tentaria sê-lo, pelos meios postos à disposição, porque é natural e humano querer ascender, progredir crescer… Mas este “concurso” não me honra especialmente. Sei que o sou por opções ou atribuições que fiz, ou me impuseram, nos últimos sete anos… Fora um para trás e não contava nada…!
Fazer um trabalho extraordinário com as turmas, cumprir medianamente funções, ou mesmo mediocremente, não modificaria coisa nenhuma…!

Desenganem-se pais, opinião pública: a titularidade dos professores é, em grande parte, casualidade. A grande diferença continuará a jogar-se no plano da qualidade, do empenho, da consciência e da vontade dos profissionais… com ou sem a dita titularidade…!

4 Comments:

Anonymous aDesenhar said...

titular...

posso saber com quantos pontos passas-te a Titular?

e já agora, com quantos anos de serviço?

:-)

agosto 07, 2007 2:39 da manhã  
Blogger bettips said...

Casualmente...ou não, tu és titular dum amor à vida, à Educação, à palavra, ao olhar. Por isso o que eras antes, exerce - com título - o poder agora! Que os sistemas sejam implodidos. Bjinho

agosto 07, 2007 12:53 da tarde  
Blogger aDesenhar said...

errata: passaste a Titular...
e podes desde já passar um risco (suave)a vermelho no meu erro.

:-)

agosto 08, 2007 12:44 da manhã  
Blogger Maria Manuel said...

:-)

Fui confirmar a pontuação que já não lembrava: 128; os anos de trabalho são, neste momento, metade dos de vida...!

agosto 08, 2007 9:22 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home