18.10.05

Página 20: Quando outros o dizem...

«(…) E havia ainda aqueles fadados para a tragédia, os amores que se encontravam e cedo percebiam que o encontro era afinal efémero, furtivo, um mero sopro na corrente do tempo, um cruel interlúdio antes da dolorosa separação, um beijo de despedida no caminho da solidão, a alma abandonada pela sombria angústia de saberem que havia um outro percurso, uma outra existência, uma passagem alternativa que lhes fora para sempre vedada. Esses eram os infelizes, os dilacerados pela revolta até serem abatidos pela resignação, os que percorrem a estrada da vida vergados pela saudade do que poderia ter sido, do futuro que não existiu, do trilho que nunca percorreriam a dois. Eram esses os que estavam indelevelmente marcados pela amarga e profunda nostalgia de um amor por viver».
José Rodrigues dos Santos

7 Comments:

Anonymous mónica said...

os outros dizem cada uma...

outubro 18, 2005 6:53 da tarde  
Blogger OLIVINA said...

Palavras bonitas que retratam uma realidade que pesa e dói...

outubro 18, 2005 7:44 da tarde  
Blogger Carlos Barros said...

já agora o livro do Zé é bom?

outubro 21, 2005 3:01 da tarde  
Blogger sem cantigas said...

n quero o zé! dá-me outro mais lindo!

outubro 27, 2005 11:07 da manhã  
Blogger Maria Manuel said...

semcantigas

Ora! Mais lindo já to tens! ;-)

outubro 27, 2005 4:24 da tarde  
Blogger sem cantigas said...

tenho? tens? onde? mostra? n sinto, n vejo, dá-mo!

outubro 27, 2005 5:37 da tarde  
Blogger Maria Manuel said...

*tu

outubro 27, 2005 8:11 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home